Apple já funciona com 100% de energia renovável

A Apple foi considerada por vários anos como a empresa tecnológica mais “green” do mundo, segundo um ranking da Greenpeace. Contudo, a empresa teve há uns anos um relacionamento complicado com o ambientalismo e a energia verde. Tudo mudou após esforços consideráveis para adotar totalmente a energia renovável. No outono de 2016, a empresa aderiu a uma iniciativa global chamada RE100, reivindicando uma meta de 100% de energia renovável.

Essa proclamação seguiu-se a um acordo de 2015 que tornou a Apple a maior corporativa de energia renovável nos EUA.

Apple já usa 100% energia renovável

Segundo um press release da empresa, bem como um recurso detalhado da Fast Company, as instalações da Apple operam agora totalmente com energia verde. Isso inclui centros de dados, a nova sede da Apple Park em Cupertino, lojas de retalho e outras instalações espalhadas por 43 países.

O valor de 100%, no entanto, aplica-se apenas às próprias instalações da Apple, e não aos seus vários parceiros de produção e outras operações. Mas a Apple também convenceu um total de 23 empresas – incluindo nove novas – da sua cadeia de fornecimento, a fazer uma promessa de 100% de energia renovável.

A conquista foi conseguida em parte pelos investimentos da empresa de Cupertino em parques solares e eólicos perto de muitos dos seus centros de dados, bem como grandes instalações solares sobre edifícios da própria empresa, como aqueles na sua sede da Apple Park.

No total, a Apple tem 25 projetos de energia renovável em todo o mundo, produzindo 626 megawatts de capacidade de geração. A empresa está a trabalhar para trazer mais 15 projetos online em 11 países, coletivamente capazes de produzir 1,4 gigawatts de energia limpa e renovável.

Estamos comprometidos em deixar o mundo melhor do que o que encontramos. Depois de anos de muito trabalho, estamos orgulhosos de ter alcançado este marco significativo. Vamos continuar a ampliar os limites do que é possível com os materiais dos nossos produtos, a forma como os reciclamos, as nossas instalações e o nosso trabalho com fornecedores para estabelecer novas fontes criativas e voltadas para o futuro de energia renovável, porque sabemos que o futuro depende disso.

Referiu o CEO Tim Cook em comunicado.

 

Um longo caminho verde

Apesar de ter uma campanha pública de responsabilidade ambiental que inclui relatórios regulares de progresso, anúncios e menções em apresentações de produtos, a Apple há uns anos encontrava-se em conflito com ativistas. A Greenpeace, por exemplo, classificaria a empresa quase no final da sua lista das empresas mais verdes do setor de eletrónicos de consumo.

Isso começou a mudar em 2007, quando Steve Jobs lançou uma carta aberta intitulada “A Greener Apple”, com uma série de planos relacionados com a remoção de mercúrio dos produtos da empresa, além de programas de reciclagem.

A empresa acelerou esses esforços com Cook. A Apple continuou a apertar o botão da energia verde, contratou Lisa Jackson, ex-administradora da EPA no governo Obama, como vice-presidente de sustentabilidade e assuntos governamentais e, no início do ano passado, a empresa ofereceu um bónus de mil milhões de dólares para financiar produtos de energia verde.

Fonte: pplware

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s