Domine os screenshots no macOS com estas funções escondidas

É verdade que o macOS tem um pouco de tudo, quer seja no que traz visível, quer seja no que podemos criar através do Automator ou mesmo recorrendo ao Terminal. Há pequenos grandes recursos que no dia a dia nos ajudam a ultrapassar dificuldades de várias ordens. Por exemplo, uma das minhas funcionalidades favoritas nos Macs é a facilidade que podemos tirar um screenshot e editar o mesmo com as ferramentas nativas da Apple. Mas há muitas pessoas que desconhecem certos truques que podem ser usados mas estão “escondidos”. Vamos mostrar quais são.

Todos os utilizadores do mundo macOS sabem como se faz um screenshot recorrendo aos atalhos de teclado, basicamente são estes os atalhos que todos conhecem:

  • Shift + Command + 3: Tira um screenshot de todo o seu ecrã.
  • Shift + Command + 4: Permite-lhe tirar um screenshot de uma área específica do ecrã.
  • Shift + Command + 6: Screenshot da Touch Bar (para os novos MacBook Pro).

Quando fazemos um screenshot, o sistema atribui um nome por omissão e coloca num determinado sítio, que é o ambiente de trabalho, para que o possamos editar ou gerir conforme a nossa vontade. Podemos mudar esse sítio e até automatizar esse processo com as pastas inteligentes.

 

Barra de ferramentas de Edição

Dando o tal duplo clique em cima do ficheiro, da tal imagem que captamos, o screenshot, abre-se a pré-visualização do ficheiro e essa janela mostra um ícone de uma “mala” de ferramentas que irá permitir uma edição interessante para a imagem captada. Clique nesse ícone.

Agora, depois dessa barra de ferramentas ser aberta, poderá ter a noção que muito mais poderá ser feito para transformar essa imagem captada do seu ecrã, quer seja de todo o ecrã ou de uma parcela do mesmo.

Então pode selecionar a imagem na parte que lhe interessar com vários tipo de filtros, criar uma área de selecção livre, selecionar por cor, adicionar assinatura, adicionar texto, adicionar formas geométricas, adicionar setas e outros elementos ilustrativos, dimensionar a imagens, recordar e muitas outras opções de edição.

 

Destaque elementos específicos na captura do ecrã

O uso do CMD + Shift + 4 permite-nos arrastar a área de captura em torno de um item específico que queremos capturar. Mas se quiser capturar, digamos, a Dock, a Barra de menus ou uma janela do Finder, pode evitar tentar alinhar as bordas perfeitas e, ao invés disso, use este truque.

  1. Pressione CMD + Shift + 4
  2. Pressione a barra de espaços logo após
  3. Quando o ícone da câmara aparecer, mova-o para a seção que deseja capturar e espere que essa área fique destacada.
  4. Clique no rato para capturar essa área do ecrã.

Um truque muito interessante é fazer o seguinte:

  1. Pressione CMD + Shift + 4 agora defina a área que quer selecionar para fazer a captura. Sem largar o botão do rato que está a ajudar a seleccionar, clique na barra de espaço e poderá mexer a seleção para onde quiser. TOP verdade?

Se quiser manter a imagem capturada na área de transferências para colar num artigo, em vez de fazer logo um ficheiro, então use o a tecla CTRL para copiar a captura para essa área, tal como a imagem a seguir mostra, seja qual for o tipo de screenshot (ao ecrã total ou parcial).

Agora, em vez de tirar uma imagem de toda a sua área de trabalho, tem apenas a janela que estava à procura de captar e, como deve ter reparado, essa janela recebeu um efeito de sombra suave para ajudar a destacar o elemento.

 

Mas como posso em vez de gravar em PNG gravar em JPG?

É verdade que usar uma imagem em PNG a qualidade é melhor, mas também é verdade que para grande parte do que vai usar, nem vai notar a diferença e quem nota mesmo é o seu disco que à medida que tira screenshots vai perdendo espaço, dado o tamanho dos PNGs. No meu caso, com um ecrã 5K, cada screenshot (um ecrã total, por exemplo) ocupa cerca de 18MB… se não mais!

A Apple poderia trazer um atalho simples para podermos fazer isso de forma fácil, a verdade é que não traz e temos de recorrer a software de terceiros para podermos fazer essa singela alteração.

Mas podemos socorrer-nos, claro está, daquela ferramenta fantástica que o macOS traz e que faz magia, sim, estou a falar do Terminal. Antes de mudarmos o tipo de ficheiro com que vamos gravar os nossos screenshots de aqui em diante, vamos ver estas duas imagens e tentar perceber se notamos a diferença de uma para a outra.

Imagem em PNG com 1,5MB

 

Imagem em JPG com 737KB

Como pode ver, praticamente não notará qualquer diferença e a minha lindíssima labrador fica bem em qualquer uma dessas imagens, pese o facto de ter em JPG metade do peso enquanto ficheiro, até porque na vida real, esse animal pesa 30 Kg.

Agora podemos ir ao Terminal e mudar o predefino do macOS para JPG. Assim, abram o terminal, e para isso basta chamar o Spotlight e escrever Terminal, ou ir a Aplicações > Utilitários > Terminal ou até invocar a Siri e dizer “Abrir Terminal” que ela cumpre o pedido.

Agora escreva o seguinte comando:

defaults write com.apple.screencapture type jpg

Pronto. Agora vá lá testar e faça uns screenshots da frontpage do Pplware para ver como fica TOP.

 

Mas eu queria mudar o local onde o Mac os está a guardar!

Ok. Vamos a isso. Por predefinição do sistema, as capturas de ecrã ou screenshots, como lhe queira chamar, são colocados na secretária, no ambiente de trabalho ou desktop (também como lhe queira chamar). Como referi em cima, podemos automatizar uma rotina e com acesso à função Pastas inteligentes do Finder sempre que um screenshot caia no ambiente de trabalho ele é automaticamente encaminhado para uma pasta criada para esse efeito. Mas podemos “obrigar” o sistema a enviar sempre os screenshots para uma pasta predefinida por nós para essas imagens.

Dentro da minha pasta Imagens criei uma outra que se chama Capturas e é para lá que vou apontar os ficheiros. O caminho dessa pasta é o seguinte: ~/ Imagens / Capturas

Para tal, vamos lá de novo abrir o Terminal e colocar o seguinte comando:

defaults write com.apple.screencapture location ~/Imagens/Capturas

Tenha em atenção que se não tiver a pasta criada simplesmente a ação será ignorada pelo sistema, pois não encontrando a pasta de destino, nada irá acontecer.

Agora, para a magia ficar terminada vamos fazer o sistema aceitar estas alterações e executamos o seguinte comando:

killall SystemUIServer

Basicamente este comando irá fazer o sistema aceitar tudo o que estivemos a alterar.

 

Em resumo…

Se tiver alguma outra sugestão, dúvida ou dica, diga que podemos explorar estas pequenas pérolas para tornar o macOS cada vez mais adaptado ao utilizador, em vez de ser o utilizador a ter que se adaptar ao macOS.

Fonte: pplware

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s