Apple vai pagar a freelancers para melhorar a precisão dos mapas

Longe vai o tempo em que o Mapas da Apple dava informações erradas ou imprecisas. A empresa tem feito um esforço constante para melhorar a precisão da informação. Além disso, a Apple removeu há uns anos o sistema da Google e colocou o seu sistema de mapas em tudo o que requer georreferenciação e localização nas apps do seu ecossistema e trouxe mais “funcionalidades comerciais”, na última grande atualização. Agora, a empresa vai “pagar” a freelancers para detetar e corrigir problemas por forma a tornar o Mapas num sistema mais preciso.

iPad mini com Mapas da Apple

Num esforço para melhorar o Mapas, que muitos utilizadores do iPhone ainda consideram inferior ao Google Maps, a Apple recrutou a ajuda de freelancers, contratados para validar a precisão de pontos de interesse e outras informações, em troca de pequeno pagamentos, de acordo com o blog francês iGeneration.

No ano passado, através de uma plataforma chamada TryRating, a Apple terá pago aos freelancers, em média, 54 cêntimos de dólar por cada tarefa, que muitas vezes apenas demoram alguns minutos a serem concluídas. Este trabalho de detalhe está, contudo, limitado a 600 tarefas completas, e não mais de 20 horas trabalhadas, por semana.

O relatório apresentado não especifica como são selecionados os freelancers, mas parece serem recrutados por meio de uma terceira empresa envolvida.

Uma tarefa simples, por exemplo, será verificar a precisão e a relevância dos resultados da pesquisa que o Mapas da Apple mostra para uma consulta por “McDonald’s”, para um local específico. A tarefa do freelancer seria garantir que os restaurantes do McDonald’s listados estejam a uma distância próxima, tenham endereços precisos e assim por diante.

A Apple supostamente possui um documento de 200 páginas, com diretrizes de avaliação de pesquisa de mapas que os freelancers devem seguir.

Um dos exemplos que a Apple fornece é uma pesquisa de Somerville, Massachusetts para “Machu Picchu”, um sítio histórico bem conhecido no Peru, mas também o nome de um restaurante na cidade. A tarefa do freelancer seria garantir que todos os resultados da pesquisa para “Machu Picchu” sejam contextualmente relevantes.

O relatório aprofundado da iGeneration fornece mais detalhes sobre a chamada plataforma TryRating da Apple, que se compara ao programa Mechanical Turk da Amazon.

O Mapas da Apple foi lançado em 2012 e foi rapidamente criticado por ter dados de mapeamento incompletos e imprecisos, o que levou alguns utilizadores do iPhone a seguir rotas perigosas e há imensos relatos de casos estranhos e caricatos. O CEO da Apple, Tim Cook, como se devem lembrar, chegou mesmo a vir a público pedir desculpas públicas pela frustração que causou aos clientes, e o chefe do iOS, Scott Forstall, foi “expulso” da empresa um mês depois do produto ter sido lançado.

Apple Maps Street View no iOS 11?

É possível que a Apple apresente boas novidades sobre o Mapas já amanhã, aquando da apresentação do iOS 11. Poderão ser mostrados então os novos esforços na melhoria da precisão geral da navegação. É bom lembrar que há uma frota de carros e drones Apple a cruzar o mundo desde 2015, que recolhem imagens Street View e outros dados. Houve alguns rumores de que este projeto está pronto para consumo público, o que pode significar a adição de um modo Apple Maps Street View no iOS 11.

Fonte: pplware

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s