Apple acusada de “avariar” intencionalmente o FaceTime no iOS 6

Apple FaceTimeEmpresas como a Apple têm por vezes problemas judiciais com utilizadores que discordam das suas políticas. Nos Estados Unidos, as pessoas recorrem com frequência à justiça para mostrar a sua indignação e razão. O mais recente caso a chegar ao tribunal coloca frente e frente a Apple e uma utilizadora que acusa a empresa de ter “avariado” intencionalmente o FaceTime no iOS 6, apenas por questões financeiras. O novo processo em que a Apple está envolvida foi apresentado num tribunal da California e pretende provar que a empresa teve a intenção de forçar os utilizadores a atualizar para o iOS 7, apenas para conseguir poupar milhões de dólares na disponibilização do FaceTime.

Problemas do FaceTime?

A acusação tem contornos rebuscados, mas é simples de entender. O FaceTime é um dos serviços de videoconferência mais eficientes e robustos do mercado. Quando este serviço foi originalmente lançado, havia duas formas para comunicação entre terminais: a primeira recorrendo a protocolos peer-to-peer, que permitia a transferencia “direta” de áudio e vídeo entre equipamentos e um segundo método, que recorria a servidores de terceiros, em concreto da Akamai para estabelecer a ponte de comunicação entre esses equipamentos.

No entanto, devido a um processo da VirnetX, a Apple foi obrigada a desligar o primeiro método de comunicação (P2P) passando as comunicações a fluir apenas pelos servidores da Akamai. O problema deste cenário é que, devido ao elevado número de comunicações a processar, a Apple era obrigada a suportar mensalmente custos elevados para manter este serviço em funcionamento.

Como solução para tal problema a Apple redefiniu o sistema de comunicações assentes em protocolos P2P sem infringir as patentes da empresa VirnetX Holding Corp. O problema estava nos utilizadores que ainda tinham o iOS 6 e cujas chamadas continuavam a fluir através dos servidores da Akamai.

Para resolver rapidamente tal problema, a Apple fez expirar um certificado de segurança do serviço, fazendo com que o FaceTime deixasse de funcionar corretamente no iOS 6.

Com este novo problema no iOS 6, que a Apple categorizou como um bug e que seria apenas corrigido com a atualização para o iOS 7, a Apple terá conseguido forçar a atualização e assim deixar de pagar os serviços da Akamai.

 

As provas de que a Apple “avariou” o FaceTime no iOS 6

Toda esta informação foi obtida de um outro processo que esteve em tribunal até ao final do ano passado, onde a empresa VirnetX Holding Corp conseguiu que a Apple fosse obrigada a pagar 302,4 milhões de dólares pela violação de várias patentes.

Segundo a informação disponibilizada no processo, e que foi tornada pública, a Apple terá pago 50 milhões de dólares à Akamai entre abril e setembro de 2013. Existem ainda documentos onde funcionários da Apple descrevem a forma para conseguiram “avariar” o FaceTime no iOS 6 e como isso iria servir à Apple para poupar muito dinheiro.

Apple FaceTime

Esquema usado pela Apple foi revelado

A principal prova de todo este novo processo pode ser lida abaixo e não deixa muita margem de manobra para a Apple. Uma pergunta foi enviada para os engenheiros da Apple e questionava o que tinha sido feito para reduzir a utilização dos serviços da Akamai.

Hey, guys. I’m looking at the Akamai contract for next year. I understand we did something in April around iOS 6 to reduce relay utilization

A resposta é clara e mostra bem qual foi a solução que a equipa da Apple encontrou para evitar a despesa que estavam a ter com a Akamai e com os seus serviços.

It was a big user of relay bandwidth. We broke iOS 6, and the only way to get FaceTime working again is to upgrade to iOS 7.

 

As provas parecem não deixar dúvidas que a Apple agiu de forma deliberada quando inutilizou o FaceTime no iOS 6, obrigando à atualização para a versão 7, o que veio deixar muitos dos iPhones com problemas de performance, desagradando aos utilizadores.

Segundo o que está a ser veiculado, dificilmente a Apple conseguirá escapar a uma condenação neste processo. Falta agora ao tribunal decidir se este será um caso isolado ou se, como é normal nos Estados Unidos, mais clientes queixosos podem aderir ao processo (class action lawsuit).

Toda a informação sobre este processo pode ser lida aqui.

Fonte: pplware
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s