Juiz ordena que mulher desbloqueie iPhone via impressão digital

Juíz ordena que mulher desbloqueie iPhone via impressão digital

Já se sabia que muita tinta ainda haveria de correr sobre este tema do bloqueio dos iPhones e da teimosia das autoridades em querer entrar dentro dos smartphones da Apple. Desta vez não houve lugar a hackers, crackers ou “indivíduos” terceiros a entrar no iPhone, foi mesmo o juiz que deu a ordem polémica à proprietária do dispositivo. A ordem foi que colocasse o dedo no Touch ID para desbloquear o iPhone.

Ainda não é perfeitamente claro se a lei pode forçar um cidadão a desbloquear o seu telefone com a sua impressão digital, mas um tribunal de Los Angeles não ficou parado à espera de descobrir: pela primeira vez num caso federal, um juiz ordenou que uma pessoa desbloqueasse o seu smartphone usando os seus dedos.

 

iPhone da polémica agora tem Touch ID

O FBI obteve um mandado exigindo que a suspeita de roubo, Paytsar Bkhchadzhyan, desbloqueasse o seu iPhone através do Touch ID, isto após 45 minutos de ter sido detida, quando ainda o FBI não sabia o que procurava nem sabia ao certo de que era acusada a suspeita, contudo, a mulher não se recusou a desbloquear o equipamento.

Bkhchadzhyan é namorada de um proeminente membro de um gangue arménio local. A adicionar a este facto, o iPhone da mulher foi encontrado na casa do homem e isso poderá ter pesado na decisão de considerar este dispositivo como uma prova preponderante para o caso, como agora se está a especular. Mas estas decisões estão já a causar uma grande polémica.

pplware_touch_id_01

 

Extrapolar a 5ª Emenda

A autoridade, para actuar neste sentido, terá como base uma “mistura” de decisões judiciais. O Tribunal Supremo decidiu que a força policial pode vasculhar no seu telefone com o devido mandado e, para isso, podem solicitar que este seja desbloqueado, via impressão digital do proprietário, sem que seja necessária a aprovação de um juiz. Mas há já quem duvide que seja possível combinar estas duas decisões judiciais.

Como está explicado no LA Times, há uma controvérsia quanto à possibilidade de haver a violação da 5ª Emenda da Constituição quando é usada a impressão digital para desbloquear o telefone. Esta 5ª Emenda protege os cidadãos contra a auto-incriminação. Enquanto uma impressão digital não é o mesmo que testemunhar, desbloquear o telefone pode ser tratado desta forma.

A polémica está de novo lançada e ainda se irá escrever muito sobre este e outros casos que derivam de um novo paradigma na segurança do iPhone que poderá estar a mudar definitivamente a forma como a justiça olha para os conteúdos dos dispositivos móveis.

Engadget

Fonte: pplware

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s